Quinta do Monte Xisto 2012 Cume aqui!

Graham’s – Ne Oublie … Um Porto Tawny muito velho

Texto Olga Cardoso

A família Symington lançou um vinho de 1882 para celebrar a chegada do pioneiro da família a Portugal. O nome não poderia ser mais exemplificativo. Ne Oublie – que significa inesquecível ou em inglês, Not Forget ou Unforgerable! Ne Oublie é mais do que um vinho extraordinário, é uma jóia de família, uma relíquia histórica e cultural.

Blend_All_About_Wine_Ne_Oublie_1

Ne Oublie – © Blend All About Wine, Lda.

Estas expressões em francês têm origem muitos séculos atrás. Como exemplo podermos referir o Honi soit qui mal y pense que é uma expressão francesa que significa – Envergonhe-se quem nisto vê malícia, muito usada em meios cultos. Também é o lema da Ordem da Jarreteira, comenda britânica criada pelo rei Eduardo III de Inglaterra, no tempo das Cruzadas. É um dos lemas do Reino Unido, estando estampado na sua própria bandeira.

Diz a lenda que, em 1347, durante um baile, a Condessa de Salisbury, amante do mesmo Eduardo III, perdeu a sua liga, azul. O Rei depressa a recolocou, sob o olhar e sorrisos (cúmplices) dos nobres da corte e terá gritado (em francês, que era a língua oficial da corte inglesa) “Messieurs, honni soit qui mal y pense! Ceux qui rient en ce moment seront un jour très honorés d’en porter une semblable, car ce ruban sera mis en tel honneur que les railleurs eux-mêmes le rechercheront avec empressement.” No dia seguinte terá criado a ordem da Jarreteira, tendo como símbolo uma liga azul sobre fundo dourado, que ainda hoje é a mais prestigiosa ordem do Reino Unido, tendo somente 25 membros e cujo único Grão Mestre é o monarca da Inglaterra.

Não poderia ter provado este vinho em melhor companhia…tão britânica! Até o tempo se colocou à feição! Em solo português, Quinta do Bomfim, Pinhão, Douro, sob um enorme temporal de chuva e trovoada e com dois britânicos. Paul Symington, actual administrador da Symington Family Estates e Sarah Ahmed, a escritora inglesa actualmente mais focada em vinhos portugueses. Aos dois agradeço esta experiência!

Blend_All_About_Wine_Ne_Oublie_2

Ne Oublie – © Blend All About Wine, Lda.

Muitos consideram o seu preço proibitivo – cerca de € 5.500,00. Mas segundo Paul Symington – estamos a falar não só de uma bebida, mas sim de um produto de luxo, raro e exclusivo. “… se o vinho do Porto não consegue ter um produto ao nível da Hermès, da Cartier ou da Louis Vuitton, significa reconhecer que estamos num segundo nível…”!

E estamos seguramente a falar de um produto de nível superior. Um Porto do final do século XIX apresentado num decanter numerado, feito à mão, em cristal soprado, por mestres vidreiros da fábrica portuguesa Atlantis, com três anéis de prata moldados e gravados pelos ourives escoceses Hayward & Stott e guardado numa caixa de couro especialmente desenhada e produzida à mão pela famosa marca britânica Smythson, da Bond Street.

Os Symington são hoje a principal família do vinho do Porto. Líderes de vendas nas categorias especiais, são detentores das marcas Graham’s, Warre’s, Dow’s, Cockburn’s, Smith Woodhouse, Quinta do Vesúvio, Martinez, Gould Campbell e Quarles Harris e possuem mais de 1000 hectares de vinhas no Douro.

Este império e o elo emocional que a família mantém com o Douro, começaram realmente a ser construídos em 1882, quando o escocês Andrew James Symington, então com 19 anos, chegou a Portugal para trabalhar na Graham’s, outra família escocesa já há muito estabelecida no país e que, na altura, se dedicava à fiação de algodão.

E porque sou uma amante da história e de estórias, corro sempre o risco de me tornar entediante para quem me lê. Para abreviar essa parte…importa agora falar do vinho e da minha prova propriamente dita. [Caso pretenda ler sobre outros tawnies da grahms provados neste site poderão consultar o nosso artigo anterior]
Falamos de um vinho encerrado em apenas três pipas, uma das quais deu origem às 656 garrafas agora no mercado.

Blend_All_About_Wine_Ne_Oublie_3

Ne Oublie – © Blend All About Wine, Lda.

Como vinho, encaixa-se na mais pura tradição duriense, a tradição do Tawny, enquanto vinho “generoso” que é guardado em pipas e vai passando de geração para geração. Está na linha do Scion, o vinho com 155 anos que a Taylor’s lançou em 2010 a 2500 euros a garrafa. Apesar do preço elevado, o vinho foi um sucesso e criou um fenómeno de imitação no sector. Num espaço curto de tempo surgiram no mercado vários vinhos do Porto muito velhos a preços nunca vistos. O último a ser lançado foi o Taylor’s Single Harvest 1963, um dos vinhos que esta empresa herdou com a compra, o ano passado, da Wiese & Krohn, uma pequena casa familiar especializada em Porto Colheitas. Também envolvidas num estojo de luxo, cada uma das 1650 garrafas foram postas à venda ao custo de € 3000,00.

Com o Ne Oublie, os Symington colocaram a fasquia num patamar ainda mais alto. Mas, bem vistas as coisas, € 5500,00 – será mais ou menos o preço de uma garrafa de Porto Vintage Noval Nacional de 1963 (sem embalagem de luxo). E há vinhos bastante mais novos franceses, Champanhe, Bordéus e Borgonha — e que não são tão bons – igualmente tão caros. Ne Oublie está longe, pois, de ser uma excentricidade.

São vinhos como estes, exclusivos e apresentados luxuosamente – que elevam o Vinho do Porto ao mais elevado patamar.

Blend_All_About_Wine_Ne_Oublie_4

Ne Oublie – © Blend All About Wine, Lda.

Graham’s – Ne Oublie … Very Old Tawny Port
Profundo e hermeticamente concentrado, mostrou uma precisão como nenhum outro. Já provei outros Portos velhos, mas nenhum me impressionou tanto com este. Todos bons, sem dúvida, mas alguns revelam talvez demasiada concentração, excessivo melaço, algumas características exacerbadas ou talvez coisas a mais. Este mostra tudo no sítio. Dizer que se sentem aqui os frutos secos, como as nozes e as avelãs, será já um lugar comum…claro que todos estão presentes! Casca de laranja, algumas notas de madeira velha, algum mel e caramelo. Tudo existe neste vinho tão complexo. Para além disso temos o iodo e as notas de farmácia. A boca é notavelmente avassaladora. Bolas…quanta finura…nunca antes experimentada. Acidez al dente, concentração bem medida, profundidade e complexidade…na medida certa. A característica primordial deste vinho é mesmo a precisão. O mais “certeiro” Tawny alguma vez provado…talvez mesmo um dos maiores exemplares da excelência do DOURO!

Contacts
Symington Family Estates
Travessa Barão de Forrester 86
Apartado 26
4431-901 Vila Nova de Gaia
Portugal
Tel: (+351) 223 776 300
Fax: (+351) 223 776 301
E-mail: symington@symington.com
Site: http: www.symington.com

Partilhe:
Follow by Email
Facebook
Twitter
LINKEDIN
About Olga Cardoso

Comments are closed.