Posts Tagged : all about wine

Pão com Presunto

Texto João Barbosa

Menino Carlitos, quanto são dois mais dois?

– São quatro, senhora professora.

O menino Carlitos cresceu, passaram a chamar-lhe Senhor Carlos (e apelido), e percebeu, num momento de proveitoso ócio, que dois mais dois podem não ser quatro. Chegou lá enquanto se deliciava com uma sandes de bom pão e excelente presunto.

Em gastronomia é frequente a matemática, no ramo da aritmética, não ser uma ciência exacta. A soma do pão, com o seu adocicado e um pouco acre, e do presunto, com o seu sal – simplificando: valem mais do que em separado.

A união faz a força… se não for desastrada. Entre o acerto e o desastre, as harmonizações do vinho (ou doutra bebida) com a comida são um jogo de prazer, de adivinhação e de conversa. Uns tenderão a juntar por afinidades e outros por disparidades. É como as relações amorosas:

– Que lindo casal, vivem juntos há 50 anos. Têm tanto em comum, que só poderia dar certo.

– Que lindo casal, vivem juntos há 50 anos. Se não fossem tão diferentes um do outro e certamente estariam divorciados no final do primeiro ano.

À vontade do freguês! Este desafio gastronómico enriquece culturalmente. Só por si, a comida pode ser apenas alimento. Vejo uma grande diferença entre comer e alimentar. Alimento-me para viver, já que não sou planta e, por isso, não realizo a fotossíntese. Como por prazer, tal como gosto de cinema, artes plásticas ou poesia. Vinho será apenas álcool se dele não tirarmos prazer da cor, aroma e paladar.

pairing-red-wine-and-food_body Pão com Presunto Pão com Presunto pairing red wine and food body

Wine & Food in idealmagazine.co.uk

 

Confesso-me muito insensível à cor. Serve-me para perceber defeitos ou evolução, é instrumento de análise, é função e não forma. Não me embebedo com o rubi ou o âmbar. O mesmo não acontece com o aroma e o comportamento na boca.

Ainda assim, vinho não pode ser apenas vinho, ainda que gostando muito… um copo ao almoço, outro no final do dia de trabalho e um para o jantar… mais uns tantos numa festa – se conduzir, não beba.

O vinho tem de ser compreendido como um polígono. Se for visto apenas como vinho, para que interessam as condicionantes, naturais e humanas, que constituem o terroir? Dentro dum copo há, ou pode haver, história, literatura, música, memórias dum livro, lembranças de afectos.

Não gosto muito de me citar ou de palrar egocentricamente, mas aqui prefiro. Não sou dono de experiências alheias. E se quem divergir quiser tirar pagode, que o faça à minha custa – pois sou o dono da prosa – e não de alheios.

Um dia causei risota porque descrevi publicamente um vinho com uma identificação de lugar. Talvez pudesse enumerar um ramalhete diversificado, com algumas flores verdadeiras, outras induzidas, sugeridas, inventadas e de plástico. Era um vinho fantástico, de enorme complexidade. Aquele Vinho do Porto ficava em Óbidos, numa floreira enorme como uma floresta, pendendo na parede branca duma casa de regalo.

Outra vez defini um vinho com a palavra «Natal». Podia ter cantado uma ladainha: massa de bolo, frutos secos, fruta cristalizada, especiarias, blá, blá, blá… – oh tédio enfadonho! Sim, é um pleonasmo.

Quanto mais somarmos, maior será o resultado – exceptuando se escolhermos desgostos. Cada acrescento de história, antropologia e arte é mais do que a sua unidade. O resultado pode ser uma simples e sintética palavra… garanto, e bem que sou falador e vasto escrevinhador.

Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira

Texto João Pedro de Carvalho

A história deste produtor começa com a chegada de John Blandy à Madeira, são dois séculos de uma dinastia de comerciantes cuja importante ligação ao mundo do Vinho da Madeira começa com o estabelecimento da firma em 1811 começando nesse ano como exportador de vinhos. Compra a propriedade onde hoje se encontra a Antiga Adega no Funchal – Blandy Wine Lodges. Após o declínio das exportações por causa das devastadoras pragas, primeiro o Oidium Tuckeri em 1851 e em segundo a Phylloxera em 1872, surge da união de várias empresas exportadoras a Madeira Wine Association em 1913 com objetivo de alivar os custos que envolviam todo o negócio. Foi nessa altura em que muitas dessas empresas não conseguiram resistir aos tempos menos favoráveis e acabaram por encerrar portas, vendendo os stocks à Blandy’s. Em 1925, a Blandy’s juntou-se à M.W.A. que sobreviveu até 1986, ano em que se torna a Madeira Wine Company SA.

Blend_All_About_Wine_Blandys_1 Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blend All About Wine Blandys 1

Blandy Wine Lodges © Blend All About Wine, Lda.

Uma história notável de uma família que teve um papel muito importante no desenvolvimento do vinho Madeira, expandindo os seus negócios para a atividade bancária, seguros, reparação de navios… Duzentos anos depois a Blandy continua uma empresa familiar onde Michael e Chris são a 6ª e 7ª geração a trabalhar no negócio.

Se noutro artigo tinha afirmado que os vinhos da Henriques & Henriques foram os primeiros grandes vinhos da Madeira que tive oportunidade de beber, os Blandy foram sem dúvida alguma aqueles que cimentaram o gosto e todo o meu entusiasmo pelo vinho Madeira ao longo dos anos enquanto enófilo. Foi um daqueles momentos muito especial o que envolveu a visita à Blandy no Funchal, realmente só o poder estar sentado naquela fantástica sala de provas vale uma ida à Madeira. A prova ficou a cargo daquele que é um dos grandes da enologia mundial, Francisco Albuquerque, e foi todo um privilégio poder ter ali uma grande lição sobre o vinho Madeira com prova incluída.

Blend_All_About_Wine_Blandys_6 Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blend All About Wine Blandys 6

Francisco Albuquerque © Blend All About Wine, Lda.

Não deixa de ser interessante que o vinho Madeira é um vinho que se alimenta de tempo, precisa de tempo para crescer, não de meses nem dias, mas de anos e quantos mais anos passarem mais complexidade ele ganha, mais mágico se torna. Os destaques como não podia deixar de ser, vão para alguns dos Vintage/Frasqueira provados:

Blandy’s Malmsey 1988
Um dos grandes vinhos que tive oportunidade de provar foi o Malmsey 1988, passou em cascos cerca de 25 anos até serem lançadas em 2013 cerca de 1600 garrafas no mercado. Destaca-se pela frescura e finesse do conjunto, pelo incrível detalhe e precisão com que nos apresenta um conjunto de aromas muito bem definidos. Enorme na complexidade e equilíbrio, no imediato a laranja cristalizada a marcar pontos, figo, tâmaras, tabaco, muita especiaria, flores com fruto seco no fundo, o vinho desdobra-se em camadas. Conquista o palato com muita classe, toque de caril seguido de passas, novamente a passa de figo com nozes em destaque que quase se trinca, numa completa harmonia com o que encontramos no nariz, grande equilíbrio entre acidez/fruta/doçura.

Blend_All_About_Wine_Blandys_5 Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blend All About Wine Blandys 5

Sala de provas de vinhos Frasqueira da Blandy’s © Blend All About Wine, Lda.

 

Blandy’s Terrantez 1976
E como já vem sendo hábito o que aqui se destaca novamente é a enorme elegância de todo o conjunto, este trabalho tão preciso de alta relojoaria é a marca da casa. Neste caso um Terrantez de 1976, que se mostrou bem mais elegante que o Terrantez 1977 colocado lado a lado na prova. A complexidade neste vinho é tremenda, tudo muito delicado mas profundo e muito complexo, com notas de caril em conjunto com chocolate e raspas de laranja, tâmaras, ligeiro balsâmico, caramelo torrado, nozes, tudo embrulhado numa grandiosa acidez que se junta ao aroma de móvel velho encerado. Na boca é um monstro muito bem-educado, entra ligeiramente doce para depois ser arrebatador pela frescura que invade todo o palato, renova as sensações do nariz, tem aquele toque agridoce que vai lavrando a língua até final em perfeita harmonia com a fruta e a acidez.

Blend_All_About_Wine_Blandys_4 Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blend All About Wine Blandys 4

Blandy’s Verdelho 1973 Garrafa de Amostra © Blend All About Wine, Lda.

Blandy’s Verdelho 1973
O exemplo perfeito de que o vinho da Madeira precisa e pede tempo é o do vinho que se segue, um Verdelho 1973 que apenas vai ser lançado agora no mercado. O vinho é mais um caso sério desta casa, contido de início mas muita complexidade, vem por finas camadas, charuto, maracujá, frescura e vivacidade dos aromas num conjunto com muita harmonia. A vivacidade dos aromas destaca-se, conjunto muito marcante no palato pela secura com um misto de untuosidade/doçura muito ligeira que lhe confere uma outra dimensão, colocando este Verdelho na galeria dos grandes desta casa.

Blend_All_About_Wine_Blandys_3 Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blend All About Wine Blandys 3

Blandy’s Bual 1920 © Blend All About Wine, Lda.

Blandy’s Bual 1920
É um vinho arrebatador a todos os níveis, complicado descrever tanta emoção enclausurada numa garrafa sempre que o tenho à minha frente, no copo ou na garrafa. Aqui o campeonato é o mais alto possível, este Bual 1920 tem a capacidade rara de nos conseguir calar. Podemos estar de conversa mas quando chega a vez deste 1920 as pessoas ficam caladas, olham, cheiram o copo… pausa, voltam a rodopiar cheiram novamente com um sorriso e depois começam a divagar. O bouquet é qualquer coisa de fantástico, concentrado, fresco, pecaminoso e novamente de enorme elegância, começa com toque de laca, abre e depois dá lugar à festa, toffee, nozes, caixa de charutos, aromas envoltos numa capa fresca e ligeiramente untuoso repleto de tâmaras, figos, fruta cristalizada. Tudo isto passa para o palato, entra cheio de vontade, untuoso, guloso para depois se mostrar com grande elegância, frescura e um final muito longo e persistente. Inesquecível.

Blend_All_About_Wine_Blandys_2 Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blandy, uma dinastia ligada ao vinho Madeira Blend All About Wine Blandys 2

Blandy’s Verdelho 1887 © Blend All About Wine, Lda.

Blandy’s Verdelho 1887
Em 2011 foi identificado um Verdelho que estava colocado em demijohn de 50 litros, um Verdelho 1887 que acabaria por ser engarrafado em 2013. Destaca-se no imediato pela sua tonalidade, com aqueles lindos rebordos verde-esmeralda a indicarem uma idade de respeito. No aroma a festa é grande, começa por um toque de laca, depois serena e desperta para a sua plenitude, toque de madeira velha com fruta cristalizada, bolo inglês, figo e maçã em tarte, num sem fim de aromas que o envolvem num turbilhão de emoções. Boca arrebatadora, largo, profundo, denso e misterioso. Muito boa presença de fruta ao nível do nariz, ainda limpa e fresca, estamos a falar de um vinho de 1887, complementa-se com notas de caramelo, raspas de casca de laranja, grão de café verde num misto que combina o toque ligeiramente doce e frutado de início para terminar seco e untuoso no final.

Contactos
Blandy’s Wine Lodge
Avenida Arriaga 28,
9000-064 Funchal,
Madeira – Portugal
Tel.: (+351) 291740 110
Fax: (+351) 291 740111
Site: www.blandys.com

Justino’s Madeira Wine

Texto João Pedro de Carvalho

A tradição do vinho na Madeira é secular, tudo começou no século XV quando o Infante D. Henrique ali mandou plantar vinhas de Malvazia/Malmsey importada da Grécia. Passados mais de 500 anos o Vinho Madeira tornou-se um dos ícones do Mundo do Vinho, quer pela longevidade quer pela qualidade, marcando presença em acontecimentos tão marcantes como por exemplo a Declaração da Independência dos Estados Unidos a 4 de Julho de 1776.

Na recente viagem à Madeira uma das empresas visitados foi a “Justino´s, Madeira Wines, S.A.” criada em 1953 mas cujo fundador foi Justino Henrique Freitas em 1870 quando ainda era uma companhia familiar conhecida como Vinhos Justino Henriques (V.J.H.). Em 1981 Sigfredo da Costa Campos compra a empresa e amplia o seu valor com a compra do stock da Companhia Vinícola da Madeira. Associa-se em 1993 ao grupo Francês “La Martiniquaise” e em 1994 muda-se das instalações no centro do Funchal para o Parque Industrial de Cancela onde se encontra até hoje. Com a sua morte em 2008 a empresa, passou a ser detida na totalidade pelo grupo Francês.

Blend_All_About_Wine_Justinos_1 Justino's Madeira Wine Justino's Madeira Wine Blend All About Wine Justinos 1

Alinhamento dos 10 Anos (Sercial, Verdelho, Boal, Malvazia*) © Blend All About Wine, Lda.

A prova, excelente por sinal, foi realizada nas atuais e modernas instalações onde me deixou alguma saudade aquela atmosfera tão característica das adegas mais antigas por onde a passagem do tempo deixou as suas marcas e histórias. Felizmente essa carga nostálgica passou de imediato com a excelência dos vinhos que me iam sendo servidos.

Antes do destaque daqueles que mais gostei, um pequeno apontamento sobre os Justino’s 10 Anos das castas mais conhecidas (Sercial, Verdelho, Boal, Malvazia), vinhos que nos oferecem uma intensidade e maturidade acima da média. E é muito provavelmente a partir de aqui que se começa a melhor entender o “Mundo Madeira” em vinhos cuja harmonia de conjunto se mistura num bouquet mais adulto e que já nos permite sonhar com os patamares mais altos.

Blend_All_About_Wine_Justinos_2 Justino's Madeira Wine Justino's Madeira Wine Blend All About Wine Justinos 2

Justino’s Terrantez Old Reserve © Blend All About Wine, Lda.

Justino’s Terrantez Old Reserve
A Terrantez é uma casta rara e quase extinta, que envolve os vinhos a que dá origem com uma capa de mistério e fascínio. Estamos perante um vinho com mais de quarenta anos, alguns apontamentos tal como os toques esverdeados no rebordo indicam que pode ser bem mais velho que isso. Um vinho concentrado e profundo, notas de iodo, caril, laca, madeira de casco velho, frutos secos com bolo inglês, exótico e misterioso. Boca com entrada que envolve e forra o palato com travo untuoso de nozes e amêndoas, geleia de laranja, enorme elegância com aquela acidez que conquista num final muito longo e persistente.

Blend_All_About_Wine_Justinos_3 Justino's Madeira Wine Justino's Madeira Wine Blend All About Wine Justinos 3

Justino’s Sercial 1940 © Blend All About Wine, Lda.

Justino’s Sercial 1940
Pela alta acidez que a casta transporta para os vinhos, é a que mais tempo necessita para se desenvolver e mostrar em garrafa. De todos o meu favorito com muitas notas de maresia, muita amêndoa salgada, laca, complexidade e elegância, mel com casca de laranja cristalizada ao mesmo tempo que debita uma frescura bem afiada a embalar toda a prova. Grande presença no palato com ligeira untuosidade de frutos secos salgados, iodo, raspas de citrinos, muita emoção e sabor, mais uma vez a acidez em destaque num vinho a todos os níveis inesquecível.

Blend_All_About_Wine_Justinos_4 Justino's Madeira Wine Justino's Madeira Wine Blend All About Wine Justinos 4

Justino’s Verdelho 1954 © Blend All About Wine, Lda.

Justino’s Verdelho 1954
Um vinho que emana frescura e energia, complexidade a rodos num conjunto denso e até algo cerrado de início com aquele toque de limão muito maduro em geleia, chá verde, ramalhete de flores na companhia de nozes, muita vivacidade em conjunto pujante e seco. Boca em contraste com os aromas, cheio de sabor com notáveis apontamentos onde se destaca a secura que revitaliza o palato e convida a mais um trago, sempre com muito sabor e ligeiro toque de untuosidade num vinho que termina apimentado e com um enorme final.

Blend_All_About_Wine_Justinos_5 Justino's Madeira Wine Justino's Madeira Wine Blend All About Wine Justinos 5

Justino’s Malmsey 1933 © Blend All About Wine, Lda.

Justino’s Malmsey 1933

Um grande vinho que mostra a razão pela qual não há vinhos comparáveis com os grandes Madeira, aqui a longevidade coabita com uma complexidade/frescura difícil de encontrar noutro local. Este é dos grandes, daqueles que conquista no imediato, sente-se por natureza da casta que é mais doce e “pesado” que os provados anteriormente. Grande complexidade com notas de caramelo de leite, passas de figo, laca, frutos secos, elegância entre conjunto e aquela acidez necessária que lhe dá enorme vida, café moído, caixa de charutos, especiarias, tudo muito bem pronunciado numa perfeita harmonia entre nariz e boca. Palato com passagem untuosa e fresca, com aquela pontinha doce no final que o torna pecaminoso.

Contactos
Parque Industrial da Cancela
9125-042 Caniço
Madeira
Tel: (+351) 291 934 257
Fax: (+351) 291 934 049
E-mail: justinos@justinosmadeira.com
Site: www.justinosmadeira.com